DOE AQUI
0   /   100

A solidariedade com objetivo de diminuir a dor do outro

Comece a ler

Este ano de 2021 marca os 20 anos de um projeto pioneiro no Brasil nascido dentro do Hospital de Clínicas: o Programa Paraná Sem Dor. O ano era 2001 quando o Dr. Mário Giublin, que é médico anestesiologista e especialista em tratamento de dor, desenvolveu o projeto com o apoio da Direção do hospital e da Associação dos Amigos do HC por meio da Comissão da Dor e Anesteologia, mais conhecida como Comissão da Dor, presidida por Lisiane Rutz Prosdócimo. 

 

O projeto apresentado à Secretaria de Saúde do Estado do Paraná tinha como principal finalidade levar informação e treinamento aos médicos e demais profissionais de saúde para o rápido diagnóstico e o tratamento adequado aos pacientes que sofrem de dor. Em outubro do mesmo ano, o primeiro evento reuniu 250 médicos de 128 municípios para treinar os participantes sobre alívio da dor de câncer. Nas edições seguintes, tratou também da dor em geral e teve a presença de diversos profissionais que se interessaram pelo tema, como residentes médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, entre outros. 

 

O Programa Paraná Sem Dor possibilitou, através da Secretaria de Saúde, a compra de medicamentos para todo o Paraná e destacou o Estado como único do país, na época, a ter um projeto destinado a auxiliar esses pacientes, assim como levar o conhecimento para além do trabalho realizado no Hospital de Clínicas. Dr. Giublin conta que o projeto teve grande apoio da Comissão da Dor dos Amigos do HC, junto com Fernando Miranda, que contribuiu para a disponibilização de medicamentos e com o incentivo à pesquisa com o Prêmio Ernesto Sabóia, criado para reconhecer os melhores trabalhos a respeito do assunto. 

 

Hoje, médico acredita que esse foi um dos trabalhos mais importantes que realizou durante seus 29 anos exercendo a profissão. Segundo ele, foi uma grande oportunidade de melhorar o treinamento dos médicos e residentes sobre a dor, resultando em profissionais mais empáticos e preparados para aliviar o sofrimento do paciente. Giublin afirma que o apoio dos Amigos do HC foi essencial para tornar tudo possível, já que foi com o nosso apoio que conseguiram boa parte dos recursos para a compra de medicamentos e para manter o funcionamento da Clínica da Dor e Cuidados Paliativos. O resultado de toda solidariedade e parceria veio pouco tempo depois, o Projeto Brasil Sem Dor foi criado com base iniciativa na paranaense: o Programa Paraná Sem Dor.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.